Assessoria do padre Antônio Maria revela cachê cobrado, e Prefeitura de Urucurituba-AM reduz contrato de R$ 500 mil para R$ 118 mil

Prefeitura de Uricurituba, a 218 Km de Manaus, reduziu em quase 80% o valor do contrato para a participação do padre Antônio Maria, na Festa do Divino, em agosto.

A assessoria do padre revelou ao Portal Norte que o cachê cobrado é de R$ 118 mil, bem distante dos R$ 500 mil divulgados pela gestão municipal no Diário Oficial dos Municípios (DOM) de quinta-feira, 12.

Nesta sexta, 13, a prefeitura resolveu mudar os números e publicou no DOM uma “Reconsideração”. O valor anterior foi desconsiderado e o contrato passou a ser de R$ 118 mil.

Em entrevista ao Portal Norte, a assessoria do padre chegou a rir do valor de R$ 500 mil divulgado na quinta pela Prefeitura de Urucurituba.

“Se fosse esse valor, o padre não precisaria mais fazer outros shows pelo Brasil, no mês”, disse Orlando Messias da Silva, assessor e dono da empresa Cana Produções e MS LTDA.

A Prefeitura de Urucurituba não respondeu ao Portal Norte sobre as mudanças nos valores do contrato e informou que na tarde desta sexta irá divulgar nota. O atual prefeito da cidade é José Claudenor de Castro Pontes (PT).

Valores do cachê

Questionado sobre os valores cobrados para apresentações do padre, o assessor Orlando Messias da Silva explicou que o cachê depende da localidade.

“O cachê do show do padre depende do local. Se eu for fazer um evento aqui em São Paulo, pode custar R$ 30 mil, R$ 40 mil. Recentemente, fizemos um show em Bragança Paulista, São Paulo, com banda e foi R$ 40 mil, com equipe de 10 pessoas. Se nos chamar para ir aos Estados Unidos, com certeza irá custar bem mais que R$ 118 mil. Cada lugar é um valor diferente”, ressalta Orlando.

Sobre o valor de meio milhão de reais divulgado pela prefeitura na quinta-feira, 12, o empresário negou e disse que não é o valor cobrado.

“O valor [do show em Urucurituba] é de R$ 118 mil e está incluso o imposto de prestação de serviço, passagem aérea, diária de alimentação da equipe e show do padre. As prefeituras já contratam com 100% incluso. Eu ficaria até feliz pelo valor [de meio milhão], porque as obras sociais do Padre Antônio Maria vivem do trabalho dele, como a congregação de freiras e freis, que ele fundou e que acolhe crianças carentes. Ele tem 77 anos e mantém elas [crianças carentes] com o seu trabalho. Se ele tivesse um cachê de meio milhão de reais só precisaria fazer um show por mês”, concluiu.

“Festival de shows”

Em 2022, as prefeituras do interior do estado já contrataram diversos cantores nacionais para shows ao vivo em diferentes celebrações.

A conta tem custo alto e, até a primeira semana de maio, já resultou em contratos que ultrapassam R$ 4,1 milhões.

O forró e o sertanejo ditam o gosto dos gestores municipais para as festas populares.

Por enquanto, o cantor campeão de contratos no Amazonas é Wesley Safadão, com R$ 1,9 milhão. Ele foi contratado para apresentações em três municípios: Rio Preto da Eva (40º aniversário do município), Nova Airão (Festival do Boto ) e Autazes (24ª Festa do Leite).

Com R$ 830 mil na conta, a dupla Barões da Pisadinha é o segundo artista mais requisitado para shows em terras amazonenses. Eles já realizaram duas apresentações em 2022, nas cidades de Itacoatiara (148 anos da cidade) e São Paulo de Olivença (140 anos da cidade).